DTM-ATM. Causa diversos problemas. Quais? Os hábitos incorretos. Prof

A DTM. O que é? ATM. 50 anos. Sintomas: dor de cabeça, tontura, zumbido, a vista embaça, luz incomoda, enjoo, estalos e dor na articulação da mandíbula ao abrir a boca ou mastigar. Tem tratamento, cura, sem remédio. Causa e diagnóstico. Como tratar. Raramente, indicamos cirurgia.

O termo A-T-M, antigamente designado, “Articulação Temporo Mandibular” e, foi hoje substituído por “Algias por Tensões Musculares” – sintomas neuromusculares álgicos (denominação dada, pelo Prof. Dr. JJ Barros), que seria o termo mais correto. Também é chamado de DTM ou D-ATM (Distúrbio TemporoMandibular), DOF (Dor Oro Facial) ou TMJ – termo em inglês (que significa Temporomandibular Joint Disorders) e, refere a uma série de fatores, que podem comprometer músculos, ligamentos e articulações. 

O que é a articulação temporomandibular? Existe uma articulação temporo mandibular, de cada lado da cabeça, a frente do ouvido e elas são responsáveis pelos movimentos da mandíbula (como o de protrusão, retrusão, abertura, fechamento ou lateralidade). 

É possível localizar as articulações da mandíbula, colocando os dedos indicadores, à frente dos ouvidos e fazendo movimentos, de abertura e fechamento da boca.

Quando, as articulações temporo mandibulares, estão sensíveis ao toque ou apresentam dor, ao mastigar os alimentos, (na frente, do ouvido, na articulação ou como se fosse dor,  dentro no ouvido) ruídos (como crepitações, estalos e rangidos), limitações de abertura ou fechamento ou desvios, no movimento da boca, pode ser indicativo, de sintomas e disfunções.

Essa articulação, como outras articulações do nosso corpo, é “amortecida” por um disco (disco articular, antigamente chamado de menisco articular), evitando assim, que exista um contato direto, “osso com osso”, entre a cabeça da articulação e o fundo da cavidade, onde ela está  alojada, possibilitando assim, o movimento da mandíbula.

O “bom estado” do disco articular, reflete diretamente, no bom funcionamento, da articulação.

“Nunca devemos movimentar a mandíbula para os lados”, com a boca aberta, isso fatalmente, poderá gerar estalos (mesmo, em uma articulação sã) e prejudicar, a articulação temporo mandibular.

Posição de conforto. O que é? Posição de conforto, é quando existe um “ponto de equilíbrio”, dos dentes, músculos, ligamentos e articulações.

Seria essa posição, de devemos procurar, “antes de qualquer outro tipo, de tratamento definitivo, nos dentes” (como a substituição, de dentes perdidos, a troca ou colocação, de próteses fixas, coroas ou próteses móveis, ortodontia fixa, por exemplo) ou mesmo antes, de uma extração dentária, seletiva, para correção de dentes tortos. (pois haver mudanças, no tipo de tratamento definitivo, após localizado, dessa posição de conforto)o

Quais os sintomas que podemos ter? Dividimos de acordo com a causa: muscular, articular e emocional.

A- Neuromuscular álgico:

1- A  ATM ou mesmo a DTM causam barulhos, estalos ou ruídos, no ouvido (zumbido no ouvido), sensação de ouvido tampado, dor no ouvido ou abaixo dele, diminuição ou sensibilidade auditiva, dificuldades, no entendimento, de certos sons ou surdez.

2- Os músculos da ATM ou disfunção da DTM, podem causar, tontura, atordoamento ou vertigem (labirintite ou labirintopatia)? Sim e instabilidade ao andar ou mesmo, quando fica parado (movimento pendular) ao levantar da cama ou agachar, para pegar alguma coisa, no chão. Labirintite é um problema bastante raro. O termo certo seria, labintopatia.

3- Dores de cabeça (como na enxaqueca ou cefaléia), podem ser causados, pelos músculos da ATM ou da DTM? Sim, pode. Além das dores na cabeça ou tonturas, podemos sentir, sensação de pressão, peso, dormência (parece que está anestesiado) ou incômodo, no couro cabeludo ou podemos ter a sensação, que tem uma “cinta apertada”, em volta da cabeça ou dores nas têmporas (laterais da cabeça) ou inchaço no rosto.

4- As ATMs ou DTMs, causam dores nos olhos, na face, nuca, ombros, costas, pescoço (dor ou estalos no pescoço ao movimentar a cabeça, para os lados, podendo causar, torcicolos) ou dores nos braços ou peito (parecendo, que está com problemas, no coração), enjoos, entre outros sintomas.

5- Podemos ter a sensação de aperto, sufocamento, tosse constante ou incômodo, ou que alguma coisa, está enroscado, na garganta, pigarro constante, sensação de sufocamento, o nariz pode tampar, dor na face e nos dentes de cima (como se fosse, uma sinusite, mas sem pus – seria uma falsa sinusite, de causa nevrálgica).

6- Fotofobia (aversão à luz, a luz incomoda – dificuldade de ficar, em ambientes com muita luz, acaba usando, óculos escuros), dores nos olhos, a vista embaça ou a pálpebra treme.

7- Dificuldades de abrir a boca (quando essa limitação é de origem muscular) ou ao mastigar, os alimentos.

8- Certos casos de nevralgia do trigêmeo. A nevralgia do trigêmeo, leva a dores ou choques no rosto, que podem ser bastantes fortes (geralmente dura, alguns segundos), que podem aparecer, ao passar a mão, em uma e determinada região, do rosto (ou também ao mastigar, os alimentos) ou sintomas semelhantes, a uma sinusite (como dor contínua, na maçã, do rosto ou nariz ou ele tampa ou dores, nos dentes de cima) mas, na radiografia, mostra que não tem puz (seria, um problema muscular nevrálgico – uma falsa sinusite, chamado de enxaqueca vestibular ou facial).

9- Alterações patológicas ou originados, por trauma ou problemas patológico, nos músculos da face (abscessos dentais, causado pelo dente do siso, por exemplo), podendo causar inchaço, na face ou trismo, que é a dificuldade, de abrir a boca.

10- Apneia do sono e ou do ronco, (pode causar sono de dia).

B- De causa articular :

1- Estalos, crepitações, ruídos ou barulhos, nas articulações temporomandibulares ao abrir, a boca ou ao mastigar, os alimentos.

2- Luxação ou subluxação (podendo ser, aguda ou crônica) ou o maxilar trava ou mordida incomoda, dói ou estala,  ao comer ou mastigar.

3- Problemas patológicos ou por quedas, (quando batemos o queixo) ou por acidentes.

4- Dor reflexa articular, no ouvido.

5- Limitação de abertura ou dificuldade de fechar a boca ou desvios, ao movimentar a boca, quando a origem é articular.

Acima, uma radiografia da articulação temporomandibular, com osteoartrose – desgaste severo da cabeça da articulação da mandíbula e a figura, dentro dela representa, como deveria estar essa articulação, sem o desgaste. Mesmo em casos assim, pode ter tratamento, “sem precisar de cirurgia”, na articulação.

Por isso o tratamento tem que ser, logo que sentir algum desses sintomas, procurando evitar, problemas futuros como, e até cirurgia, se não for tratado antecipadamente.

C- Causas emocionais:

1- Emocionais como a sensação de estar meio aérea (distante da realidade) ou como a cabeça, fosse um balão. Pode afetar a memória e o raciocínio.

2- Pode causar, alterações posturais, da coluna cervical, causando, estalos ao movimentar o pescoço, desgastes nas vértebras e até levar, a uma hérnia  da coluna cervical. 

3- Sintomas causados, por vícios parafuncionais, profissionais ou emocionais (como o bruxismo ou briquismo).

O paciente pode apresentar, diversos sintomas, de origem muscular e não ter nada, nas articulações.

Os dentes são responsáveis pelo perfeito equilíbrio dos músculos, das articulações e dos ligamentos. Podemos ter um paciente, com “um lindo sorriso estético”, mas os dentes não estão, na posição de conforto, causando esses sintomas.

Obs: O uso de aparelho ortodôntico fixo ou móvel, se não bem conduzido esse tratamento, pode causar sintomas, devido os dentes saírem da posição de conforto, na movimentação. 

Porém não só uma alteração no disco articular, na articulação ou nos dentes é que poderão causar problemas.

Também inúmeros fatores, dentre eles os psicológicos e hábitos parafuncionais, dentre os quais, podemos destacar.

Hábitos incorretos:

 * Roer unhas ou remover cutículas, com os dentes;

 * Mastigar de um só lado ou mascar chicletes.

 * Chupar o dedo, morder objetos (lápis, canetas, clipes de papel ou alimentos muito duros);

 * Vícios de língua, deglutição atípica ou ficar mordendo, a língua;

 *Apoiar a mão sob o queixo, enquanto estuda, trabalha ou ao dormir (fig. abaixo);  

 * Dormir com travesseiro, muito alto ou muito baixo. Dormir, com mais que um travesseiro ou de bruços. O melhor travesseiro é de flocos de espuma.

 * Briquismo (hábito de apertar os dentes durante o dia);

 * Bruxismo (hábito de apertar ou ranger, os dentes à noite) e

 * Stress e ansiedade.

Quem tem fibromialgia, tem 20% mais chance de ter problemas de Atm ou Dtm.

O bruxismo e briquismo (que são hábitos emocionais, de estresse e ansiedade) e também, outros hábitos ou vícios, descritos em, no menu acima, podem piorar, os sintomas de disfunção das articulações temporo mandibulares e prejudicar, o tratamento, se não, forem eliminados.

 Hábitos profissionais.

 * Apoiar com o ombro o telefone, de mesa, de encontro ao ouvido. Melhor usar fone de ouvido:

 * Praticar esportes, como natação, posicionando a mandíbula de maneira incorreta ao respirar;

 * Posicionamento do queixo incorreto do violonista ao usar o instrumento; 

 * Tocadores de instrumentos de sopro;

 * Segurar com os dentes alfinetes de costura, clipes de papel, caneta ou lápis;

 Também, podemos ter sintomas de alterações, por origem traumática:

  * No caso de acidente de transito com colisão traseira; 

 * Acidentes com batida na região do queixo (mento) ou nas laterais, da cabeça;

Esses sintomas, acabam levando o paciente, “a procurar profissionais, de diversas áreas, da saúde” e sem resultados.

Como fazemos o diagnóstico? O diagnóstico, para os sintomas, com essa causa, é feito através de um exame de diagnóstico diferencial, desenvolvido por nós, além de exames de ressonância e outros exames complementares, que se tornem necessários, visando sempre, descartar, sempre, outras possíveis causas.

 E, o tratamento, como é feito? “O tratamento para os sintomas, de causa ligamentar – muscular – articular, visa restabelecer “a posição de conforto perdida” e, com isso, a remissão dos sintomas e é efetuado sem o uso de remédio, restrições alimentares, exercícios fisioterápicos, que possam trazer algum incômodo, para o paciente”.

Zumbido no ouvido, dor ou ele tampa e a ATM – DTM. Os zumbidos ou esses outros problemas, podem ser relacionados aos músculos da face e os músculos, que controlam a abertura e fechamento, da válvula do ouvido. São aqueles, que variam de intensidade, ao mastigar os alimentos ou quando abrimos a boca, por exemplo. O tipo de ruído, pode ser de um apito, estalos, som de panela de pressão, o ruído de uma televisão, fora do ar, chiado.

 A causa é relacionada aos músculos das válvulas, que regulam a pressão interna do ar, dentro do ouvido. Também, os músculos que estão sobre tensão, perto do ouvido, podem gerar os sintomas de zumbido no ouvido e de ouvido tampado.

 Podemos perceber, essa válvula se abrindo, quando vamos engolir a saliva, por exemplo, e ouvimos um barulho nos ouvidos.

 Perguntas e respostas:

1) Dificuldade de fechar ao abrir muito a boca. De vez em quando ela trava e não consigo fechar a boca ou eu abro a boca, com dificuldade.

 Resposta: pode ter tratamento (através de uma avaliação do paciente e radiografias, já se consegue saber qual é o tratamento, ideal, para cada caso).

2) Tenho um barulho ou dor, no ouvido ou ele tampa, quando mastigo ou abro e fecho a boca. Resposta: normalmente, o paciente, com essa disfunção, relatam, que ao movimentar a mandíbula, sentem dores ou ouvem barulhos, (chamados de estalos ou crepitações) que também, dependendo da intensidade, pode ser ouvido, por outras pessoas, que se encontram perto dele, ao se alimentar, por exemplo.

Também, podem sentir dores, que parecem, que vem de dentro do ouvido (mas na realidade vem à frente do ouvido, nas articulações). Só o estalo ou crepitação, já é indicativo de problemas e, se não tratado precocemente, pode levar a uma intervenção cirúrgica.

Estalo, é um barulho semelhante ao estalar, os dedos.

Crepitação é um som semelhante ao de um papel, sendo amassado ou de uma dobradiça, enferrujada. Pode indicar uma alteração física, nas articulações.

3) Dentes tortos, devemos tratar, da disfunção e dos sintomas, primeiro? Resposta: sim. Agindo assim, poderemos fazer um melhor planejamento, dessas correções dentárias, visando a melhor posição de conforto, para as articulações temporomandibulares e dos músculos.

Após o tratamento, e recuperando a posição de conforto, for indicado aparelho ortodôntico fixo, pode-se colocar o aparelho fixo encima, mantendo o aparelho móvel embaixo e depois inverte, aparelho móvel em cima e aparelho fixo, embaixo, a fim de manter o paciente, sem sintomas.

Obs: Nos casos que o pacientes apresentam, sintomas e disfunções e já estejam usando, aparelhos ortodônticos fixos, pode-se tratar dos sintomas, com aparelho móvel e depois prosseguir, com o tratamento ortodôntico, com a redução dos sintomas.  

Só após, recuperarmos, a posição de conforto (posição de equilíbrio muscular-articular-dental), é que podemos ter condições de visualizar, o tipo de tratamento ideal, para cada caso (ortodontia, implante de dentes, dentaduras fixas ou dentaduras removíveis, com implantes, por exemplo). 

4) Pacientes que usam próteses (dentaduras, ponte móvel ou ponte fixa ou implantes dentais). A troca das próteses, por novas, pode melhorar o problema? Resposta: devemos tratar, primeiro, dos sintomas, “localizar a posição de conforto” e só depois fazer, as novas próteses.